<$BlogRSDUrl$>

Tuesday, February 15, 2005

Mais uma Vez o AMOR
 



Ontem perguntaste o que é o Amor para mim ...

É sempre um pedaço do meu corpo entregue em outra alma … É sempre o pensamento que passeia distante … É o jeito de falar com os olhos, sem precisar de dizer nada … É saber que mesmo distante tens o coração junto ao meu … É saber que podes penetrar o meu corpo, sem precisar de me tocar … É sentir que estás perto mesmo sem te poder ver…

É perceber que tu chegaste com o Tempo, nos descaminhos que nos fizeram unir os corpos, como se a almas nos encontrassem … É sentir-me completa, plena, cheia de forças e de sonhos … É poder sentir o teu toque, o teu cheiro, o teu gosto, o teu ser … É sentir o ofegar da tua respiração, quando entra na minha …

É saber que o teu abraço me sustenta e ampara … É ouvir a tua voz com medo da vida que me trouxe até ti … É ver que o tempo passou mais devagar para mim.

O Amor, o que é o Amor … nesta vida sem rumo, sem tempo certo?

O encontro da escuridão? O encontro das gotas de mar? A chuva que cai? O vento forte que se mostra na tempestade? A brisa que te beija sempre ao amanhecer? O sol que brilha?
O Amor é … como a vida, que começa devagar, nos passos incertos de uma criança, depois continua na incerteza de passos ainda mais incertos …

E quando é a hora de amar?

São todos os segundos que a vida me entrega, São todas as manhãs em que cada dia me chama, São todas as noites em que o dia me cala, É quando o meu coração se prepara para dar, É quando tu te entregas sem medo de perder, É quando consigo sorrir de tanto chorar, É quando me consigo elevar dos meus sonhos, É quando os teus lábios murmuram silêncios e quando a tua voz penetra no espaço, É quando tu sentes que chegou a hora, É quando as horas se encontram no tempo, É quando um pedaço de mim se vai, É quando eu percebo que tu já não vives em mim…

Nessa altura eu procuro os sonhos, para então poder ter a vida ao meu alcance antes que eu já não possa senti-la, é tentar encontrar-te na eternidade para novamente te poder amar.

E se amanhã não for nada disto, caberá só a mim esquecer, o que eu ganho, o que eu perco Ninguém precisa saber e deixo assim ficar subentendido … O que eu ganho, o que eu perco ninguém precisa saber …



This page is powered by Blogger. Isn't yours?